Sexta-feira, 28 de Outubro de 2005

Pedaços de História - O eléctrico

 Já que falamos da História e das Estórias dos troleicarros, porque não falar também das do eléctrico?!



electrico.gif


A Serra do Pilar, desafiava as muralhas fernandinas, na sua austeridade, que se lhe opunham do outro lado do rio para a encontrarmos circundava-se o que é hoje o Jardim do Morro, e para o eléctrico passar foi necessário fazer um rasgo na pedreira da Serra. Este túnel, no entanto, era muito estreito, e, os passageiros eram avisados para não colocarem a cabeça de fora, dado o perigo de toca-rem nos morros. Joaquim Magalhães, foi o príncipal res-ponsável pela passa-gem do eléctrico em Vila Nova de Gaia e, tal como nos nossos dias, levou um certo tempo a serem ultrapassadas as dificuldades e vencidas as buro-cracias.O diário portuense "Jornal de Notícias", publica a 6 de Outubro de 1905, "O sr. ministro enviara um telegrama ao governador civil, comunicando-lhe que ontem mesmo fora assinada a autorização para a passagem dos carros eléctricos pela ponte de D. Luís". E acrescenta: "Que em breve principiará a funcionar a linha americana desde a praça da Batalha até ao pitoresco lugar de St.º Ovidio, devendo mais tarde prolongar-se até aos Carvalhos, ficando assim uma grande parte do vizinho concelho rápida e comodamente ligada com a cidade".Como os carris montados sobre a ponte de D. Luís não davam passagem à terra, colocaram dois tróleis ligados a duas linhas aéreas existentes sobre a ponte para o fazer.



Finalmente, a 28 de Outubro de 1905, é inaugurada a linha. A população organizou-se em comissões para preparou os festejos em Santo Ovídio, nas Devesas e Serra do Pilar. Os locais e passagens da linha, foram enfeitados com flores, bandeiras e galhardetes. Por volta da meia-hora da tarde o actual Jardim do Morro, foi invadido pela população, que vinha para participar nos festejos. As comissões de festas estavam já preparadas para receberem as autoridades e individualidades da época, organizando-se depois um cortejo com todos os participantes até à entrada da ponte. Cerca de uma hora e um quarto depois chegou o primeiro carro eléctrico. Percorreu depois as linhas 14 e 13 no meio de comemorações que incluiam troca de brindes e discursos. A satisfação era tanta, que fez daquele dia um dos mais importantes da história do Concelho.


É interessante referir que, as duas primeiras viagens dos eléctricos foram gratuitas, com lotações esgotadas, assim como todas as demais carreiras realizadas nesse dia. E que, nesse mesmo dia, surgiu o primeiro protesto visto que o carro eléctrico, que fazia a travessia da ponte, pagava por cada viagem 110 reis, e os passageiros 5 reis cada; ora, esta cobrança excessiva, não foi do agrado geral e teve como resultado violentos protestos ao ponto de se fixarem pelas paredes de Gaia, panfletos contra a Companhia Carris. A continuidade da linha até aos Carvalhos foi, entretanto, esquecida.


Fonte: Gaianet.pt

publicado por Pedro_Santos às 09:36
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. NOVIDADES!!!

. Lançamento de CD...

. Ginásio de Matemática

. Trance Party

. ! ! ! ATENÇÃO ! ! !

. A guerra continua...

. Menezes quer Portugal Fas...

. Namoro impedido

. Exemplo a seguir dado pel...

. CDU quer extinguir Gaiurb

.arquivos

. Outubro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds